sexta-feira, dezembro 03, 2010

ladainha pra lua

tu que me observavas na noite anterior
a suspirar e lembrar daquele que não mais me abraça
eras tu a emanar imensa luz
querendo me tirar deste vale de lágrimas
onde eu rezando
gemendo e chorando
sentia teu leve afago em minha dor
não há mais novena
nem novembro
por agora só dez passos para o plano:
teus dois olhos misericordiosos transformados nestas crateras
hão de me tirar esse silêncio de posse
até que enfim juntos sossegaremos em paz