sábado, novembro 08, 2008

p&b

meu poema da noite em claro
padeceu no breu em que amanheço
naquela velha canção em que ressoa meu silêncio.

3 comentários:

vivi trola disse...

canções e vitrolas em preto e branco. aqui me encontrei.

Pedro Pan disse...

, poema de cantigas de ninar. te amanhecias...
, beijos meus.

Verbena disse...

versos boêmios??


Senti o cheiro das noites na Praia Grande e um leve gosto de álcool - não ri- e, em minha boca, era rum!