domingo, outubro 26, 2008

achei

a cereja que faltava pro meu bolo
engarrafada na tristeza da cerveja
da sexta-feira passada!
"[...]
Num sonho multicor todo de amor
Seus lábios entreabertos a sorrir
Na boca rubra a seduzir
Como se fossem de verdade
Eram dois rubis serenos
Dois símbolos carmenos
De felicidade.
Seu cabelo tinha a cor do sol
A irradiar rubros raios de amor
Seus olhos eram circunvagos
No romantismo azul dos lagos
Mãos ideais, os braços divinais
O corpo algo sem par [...]"


boneca - francisco petronio

enfim, eu vi nessa boneca uma perfeita vênus....

quinta-feira, outubro 23, 2008

23

solto uma linha
prendo um ponto
enfio a agulha
dou a volta
mais uma vez
repito o movimento
giro rodopio mergulho
linha e buraco
volto ao motivo
destaco com outra cor
o botão que prendo
na tua camisa furada.





SE eu realmente soubesse costurar... acho que algo aí estaria diferente. tztztz

domingo, outubro 19, 2008

poema em linha torta

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxpoeminhaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxsintoxfomexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxpõexminhaxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxtxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxoxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxrxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxtxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxaxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxdexxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxuvaxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
xxxxxxxxxxxxxxxporxfavorxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx!



quarta-feira, outubro 15, 2008

viagem sem fim parte III

meu talismã é lilás.

e minha paciência eu não tenho mais.

terça-feira, outubro 14, 2008

viagem sem fim parte II

senti a silhueta
redonda
da minha borracha
no meu estojinho
como as bolinhas
de gude
que pulavam no beco
quase aqui ao lado
quando da infância
e me refiz em silêncio:

alguns rabiscos
não se podem apagar.

segunda-feira, outubro 13, 2008

viagem sem fim parte I

maga mala bares
maga malabares
mag ama labares

na tentativa de chegar a li
fiquei magra



uma semana sem tantos carboidratos.
menos 2 quilos.

quarta-feira, outubro 08, 2008

licença poética

sem mais delongas,
dona poesia,
voltarei ao mundaréu
de vazios sentimentais.
deixe-me cá com meu
pequenino mundo de palavras
vagas-soltas-sem sentido.
não me amole
não me aponte
não me acuse
nem me empreste versos.
seu poema,
aquele moço danado,
anda as tantas com
uma outra prosa vizinha.
então eu lhe peço só mais uma coisa:
dê uma licencinha
que em sua vizinhança logo mais eu adentro.