sábado, março 29, 2008

uma gardênia
parada num jardim
amarga ri da violeta
no garden,
sem pedras.
violenta, amarga rica,
de mim não faça
ficar diferente
daquela de trás
[ou bem-me-quer
daquela na frente]
jaz em ti
nem tão pouco
o louco mais ali.
agora faz assim:

jasmim





2 comentários:

Esyath disse...

Suka,

mesmo no seio de um jardim sempre haverá o diálogo das rosas... as que amam e se esforçam para serem amadas... e as que gratuitamente são amadas sem esforço...

Beijos (Des)conexos!

Tássia Campos disse...

Um tapete de lírios, jasmins e violetas pra ti!Não esqueça das margaridas.