sexta-feira, novembro 09, 2007

...

E limpa-se a casa velha...
Mesmo que na madrugada
a saudade ainda incendeie,
mudam-se os hábitos.
No silêncio arde a voz triste da alegria.
Aliás, o sorriso não vira gargalhada
quando as lembranças por acaso findam.
E quanto às porcelanas,
tão frágeis e sutis quanto as nuvens,
só resta a eterna sobrevivência dos retratos.




ausências e descompassos cardíacos
hoje fazendo falta.

5 comentários:

rakell disse...

Cara de concha.. Suellen.. hihihi

assim que escrevo.. vem reclamar naum..!
Teu blog ta Nindo.. com um bom gosto das palavras.. e a simpatia da escrivã.. ahsuahuhsuahsuahsua!

Suka de uva!!
Otimo dia..!

DlOoOoO-tU..

e NoOSSi e o TM²

Suh disse...

Obrigada pelo comentário no meu blog!
E concordo com você... ela é uma excelente escritora, acredito que com poucas palavras ela consegue fazer algo que aprecio muito: dar "tapas com luva"! Essa habilidade é para poucos!
A propósito... a poesia é muito bonita, é de sua autoria?
gostei do blog! Faz um tempo que não escrevo mais poesias..passei um longo tempo sem escrever, mas tenho muitas guardadas!
Beijos

O Profeta disse...

Arranquei as cordas à viola
Calei este altivo tambor
Emudeci meu prazenteiro canto
Sou tecelão de sentires no vale do desamor


Bom domingo


Mágico beijo

Andréa disse...

Manu?

^^


=*

Edson Moura disse...

oba, lá vem ela...a...a