quinta-feira, junho 07, 2007

Olhai as rosas musicais
nas praças levemente erguidas,
cantai como ecos inteligíveis
pelas ruas da cidade antiga!
Como fosse possível tanta alegria
esse desejo agora concebido
vai fazer brotar no chão
a pausa da clareza vespertina.
O amor, a morte ou o amargo calor
hoje soarão pelas ladeiras cristalinas
e embora esse desejo esteja envelhecido
há um esforço pelo sutil encontro.
Não demorará a hora de acordar
e por mais flores que surjam
os tempos tristes ficarão por lá
sem trocar aquilo que nos traz aqui.
Dançai! Porque a música inaladora não pode parar.


Pelo menos hoje não.

Nenhum comentário: