sábado, junho 23, 2007

O fino passo com que me guias
no campo de afetuoso alívio
é como o perfume reprimido
da mais perdida e fina flor

- sonhando, faz sorrir de alegria
dormindo, faz sonhar com o amor.

Se me espera a festa que em mim vive
ao som daquela voz a embalar
até o que há no fim de mim
brota em nós como o suave inverno
tal como a poesia que há em ti

em que meu destino se encontra em teu desatino
onde meus pés se perdem onde me prendes

porque nestes dias
as dores ressentidas sumiam
a tal alegria e a tua voz
era o que ouvia,
meus olhos agora
nem mais podiam
e as estrelas
[coitadas...]
de mim
se enchiam
porque estavas comigo...

Nenhum comentário: