quinta-feira, fevereiro 22, 2007

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Escuta o barulho da chuva
e pensa que ela cai pro teu consolo

Se estiver alto,
feche os olhos e lembra dela

Mas se tiver bem baixinho
silencia teu coração



[porque ninguém consegue (mesmo!) impedir que a chuva caia.]

CASAMENTO

do silêncio dos olhos em que confessa
um longo tempo conversa

minto
de longo e de terno
no momento eterno

meio sem tempo
nem tão longe

era terno
e era longo aquele instante

um momento:
disse sim

e nem para sempre durou
quero um vaso de mel, por favor
para todos os dias amargos

quero um laço de cetim
para tudo que estiver desamarrado

quero ainda uma bola, de qualquer cor
só para não precisar de alguns afagos

quero também uma canção
que não me faça lembrar do que perdi

e uma noite estrelada
[para não dizer que pedi pouco].