sábado, janeiro 13, 2007

um lençol cobria os sonhos
e escondia os rostos
unia o que estava ao lado
com o que não aparecia
desenhava as formas
que se equilibravam ali embaixo
acalentava os corpos
ainda assim aquecidos
e apagava os fingimentos
que ferem e magoam

(mas era fininho demais...)

Nenhum comentário: