terça-feira, outubro 31, 2006

Outro dia alguém deu
carinho numa voz macia
sem saber porque perdeu
aquilo tudo que fazia
- era a parte que não tive.

Ontem achei quem achava
num caminho aberto e sombrio
coisas que não procurava
num imenso e escuro vazio
- era a parte que não tinha.

Hoje fingi que fingia
das falhas em meu trajeto
e não vi quem me pedia
mais um pouco de afeto
- era a parte que não tenho.

Amanhã volto no vulto
a fazer com aquele carinho
o que uma flor não faz
quando está sem espinho
- é a parte que não sou.

Nenhum comentário: