quarta-feira, setembro 20, 2006

PRIMEIRO

Quisera eu torná-lo cúmplice e parceiro
acompanhá-lo como passam os dias
decifrar em sua voz palavras macias
e fazer com que o dia não passasse ligeiro

Pudera ele achar que os restos no cinzeiro
não apagam a lembrança do pulsar
caloroso nas mãos que conseguem alimentar
o instante que infelizmente é passageiro

Mas na ânsia de que tudo fique rotineiro
não posso perder a lucidez e acreditar
que nada daquilo pode ser verdadeiro

e assim como o brilho do mês de fevereiro
carnavalizo tais idéias e chego a pensar:
"quem me dera trepar o tempo inteiro..."

(06/05/2006)

Nenhum comentário: